bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Faturamento dos Correios cresce 27,89% em 2001

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) elevou, no ano passado, seu faturamento em 27,89% sobre o de 2000, de R$ 3,93 bilhões para R$ 5,63 bilhões, e seu lucro em 163,6%, de R$ R$ 192,2 milhões para R$ 506,7 milhões. É o que revela o balanço da estatal, recentemente fechado. O resultado é explicado, segundo a empresa, sobretudo pelo acréscimo em torno de 9% na postagem e pelo lançamento de produtos mais sofisticados, como o e-Sedex (que distribui cerca de 75% dos produtos comercializados pela Internet) e o Sedex 10 (que, quatro meses depois de seu lançamento, já movimenta 12 mil unidades/dia). Também o reajuste de tarifas contribuiu para o resultado. Além disso, a empresa ampliou seu leque de serviços, incluindo entre suas ações a distribuição de livros didáticos (35 toneladas de livros entregues em todo o País), o cadastamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e dos trabalhadores que fizeram acordo com o governo para receber a devolução dos expurgos feitos no reajuste do FGTS por ocasião dos Planos Verão e Collor 1, pagamento de Bolsa Escola e outros. A ECT está também em vias de abrir lojas em outros países, sobretudo do Mercosul. O resultado e as iniciativas da ECT ocorrem às vésperas de um novo cenário do setor, de regulamentação do mercado e sua maior abertura com a Lei Postal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.