Fazenda e BC: turbulência exige atenção mas não medidas

O ministro da Fazenda, Guido Mantega,afirmou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediuatenção aos desdobramentos da crise internacional e o autorizoua adotar "medidas" para enfrentar a turbulência, caso considerenecessário. Mantega, que antecipou a volta a Brasília após um semana emeia de férias, disse, no entanto, avaliar que o Brasil está"bem posicionado no cenário mundial". "Não vejo a necessidade de nenhuma medida", afirmou Mantegaa jornalistas ao chegar ao ministério nesta quarta-feira,depois de afirmar que "o momento é de atenção". Questionado sobre os comentários do ministro, o presidentedo Banco Central, Henrique Meirelles, confirmou que o cenárioestá sendo monitorado com "bastante atenção" e reiterou queainda não há necessidade de nenhuma medida específica. "O mercado brasileiro está líquido, o mercado em reais nãotem enfrentado os problemas que outros países têm enfrentado emsuas moedas locais. Portanto, não vemos necessidade de medidaspontuais", disse em São Paulo, onde participou de um evento. "Não há nenhum tipo de emergência. O Brasil está bempreparado." Os mercados globais se deterioram fortemente nos últimosdias, diante da possibilidade de uma recessão nos EstadosUnidos. Nesta quarta-feira, o principal índice da Bolsa deValores de São Paulo perdia 1,5 por cento e o dólar subia 0,5por cento frente ao real. EFEITOS NOS BANCOS Mantega acrescentou que os resultados negativos no mercadointernacional que têm contribuído para derrubar as bolsas aoredor do mundo estão, por enquanto, restritos aos bancos. Segundo ele, é necessário aguardar o balanço das empresaspara avaliar "o tamanho do buraco". Mantega afirmou que ainda não é possível falar em recessãonos EUA. (Por Isabel Versiani e Vanessa Stelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.