Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Fazenda enumera razões que permitiram queda da Selic

O Boletim de Conjuntura Econômica divulgado hoje pela Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda do Ministério enumera uma série de fatores que contribuíram para a redução da Selic, a taxa básica de juros da economia, que hoje está no patamar de 20% ao ano.De acordo com o Boletim, a trajetória de queda da taxa Selic reflete, entre outros fatores, a convergência das expectativas de inflação do mercado para a meta do Banco Central e a redução da oscilação cambial desde a segunda quinzena de junho.Além disso, há a expectativa de continuidade de uma menor oscilação da cotação do dólar, em virtude dos superávits comerciais e do aumento da taxa de rolagem dos empréstimos externos do setor privado. O boletim também destaca como fator favorável para a redução da Selic o fato de a projeção de inflação dos próximos 12 meses, pelo modelo do Banco Central (BC), estar abaixo da trajetória das metas de inflação.Na análise da Secretaria, a trajetória de queda da taxa de juros afeta positivamente não apenas o nível de atividade econômica, como também os resultados das contas do setor público, o que leva à redução do custo do endividamento. O Boletim destaca ainda que o controle da inflação no País é o elemento que permitirá a retomada da atividade econômica no final de 2003.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2003 | 17h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.