Fazenda explica isenção da CPMF em investimentos

O Ministério da Fazenda divulgou hoje uma nota para esclarecer como funcionará a conta investimento, que será criada para permitir a transferência de recursos entre aplicações financeiras sem a incidência da CPMF. O dinheiro usado na aplicação será tributado apenas na movimentação da conta-corrente para a conta investimento e vice-versa. ?Os recursos provenientes do resgate de principal e/ou rendimentos iriam para a conta investimento, de onde poderiam sair novamente para outras aplicações sem a cobrança da CPMF?, diz a nota. Se o dinheiro da conta investimento for transferido para a conta-corrente e o aplicador resolver sacar os recursos, a CPMF será cobrada normalmente. O governo está considerando isentar os fundos de ações, imobiliários, de privatização, clubes de investimento, poupança, letras hipotecárias, títulos públicos e privados comprados à vista ou na BM&F. As negociações de ativos reais, como compra de imóveis, de veículos, bens de consumo, não poderão passar pela conta investimento. A Fazenda reconhece que haverá perda de arrecadação. ?Essa perda não é desprezível, ainda que não deva ser uma parcela excessiva da arrecadação total da CPMF?, afirma, ressaltando que a estimativa de perda é ?difícil? de ser calculada. A data de lançamento da conta investimento não foi informada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.