Fazenda não comentará impasse entre GM e sindicato

O Ministério da Fazenda informou nesta terça-feira que não comentará o impasse entre a General Motors (GM) de São José dos Campos (SP) e o Sindicato dos Metalúrgicos da cidade. A GM dispensou 1,5 mil trabalhadores, mas mantendo a remuneração. O motivo da liberação dos empregados é o fechamento de um setor da indústria.

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

24 de julho de 2012 | 16h43

As montadoras estão pagando uma alíquota menor de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), estímulo dado pelo governo para aumentar as vendas de automóveis. Ao anunciar o benefício, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que a contrapartida seria a manutenção dos empregos.

Mantega está de férias, mas o ministro interino, Nelson Barbosa, informou por meio de sua assessoria que não comentará a decisão da GM e o impasse com o sindicato. O Ministério nem mesmo informou se a montadora comunicou ao governo os motivos da dispensa de funcionários. A GM já havia promovido um programa de demissão voluntária no mês passado.

Tudo o que sabemos sobre:
montadorasGMFazenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.