Fazenda: País sobe para 15º em poder de voto no FMI

O ministério da Fazenda divulgou nota à imprensa confirmando a elevação, anunciada no início da noite pelo ministro Guido Mantega, da quota do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI). A nota informa que, com a decisão, que será ainda submetida aos governadores do FMI, o Brasil passa a ser o 15º país no fundo, em termos de poder de voto. Atualmente o Brasil é o 18º. A diretoria do Brasil, que representa nove países da América Latina, sobe três posições, de 21º para 18º, entre os 24 diretores-executivos na instituição. As mudanças fazem parte do acordo feito pelo Brasil para apoiar a candidatura do atual diretor-gerente do Fundo, Dominique Strauss-Khan.A Fazenda afirma que esse é o início de um processo de mudança necessária na instituição. Segundo o Ministério foi definida uma nova fórmula de cálculo das quotas, que tem quatro variáveis: Produto Interno Bruto (PIB), abertura, variabilidade e reservas internacionais. "Uma importante inovação foi a de dar maior peso ao PIB na fórmula (50%), o que dá maior relevância ao tamanho do produto de um país, favorecendo países como o Brasil, a China e a Índia, comparado ao procedimento passado. Esse era um ponto que vinha sendo defendido pelo Brasil e pela maioria dos países emergentes", diz a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.