Febraban eleva previsão de alta do dólar no fim de 2012

Pesquisa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) indica uma desvalorização mais intensa do real frente ao dólar do que a estimativa divulgada no mês passado. As 28 instituições financeiras consultadas preveem taxa de câmbio de R$ 1,95 ao final de 2012, uma alta sobre a estimativa anterior, de R$ 1,91. Para 2013 também houve revisão e a projeção passou de R$ 1,89 para R$ 1,95.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

26 de julho de 2012 | 11h21

Apesar da expectativa de desvalorização do real mais intensa do que a anteriormente imaginada, a Pesquisa Febraban de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado mostra recuo nas projeções da balança comercial deste e do ano que vem. Para 2012, o saldo deve ser de US$ 18,2 bilhões, ante US$ 20,2 bilhões previstos em junho, refletindo o "quadro de desaceleração da economia mundial". Para o ano seguinte, a projeção caiu de US$ 15,3 bilhões para US$ 14 bilhões.

Houve recuo nas projeções dos analistas consultados para o déficit em conta corrente, que continua sendo financiado quase integralmente pelos investimentos diretos. O saldo de transações correntes passou de déficit de US$ 65,8 bilhões na projeção de junho para déficit de US$ 61,4 bilhões no documento divulgado hoje. Para 2013 o saldo foi revisado de déficit de US$ 72,2 bilhões para déficit de US$ 70,1 bilhões. As expectativas para o investimento direto estrangeiro passaram para US$ 54,9 bilhões em 2012 (ante US$ 55,2 bilhões na edição anterior da pesquisa) e US$ 59,4 bilhões em 2013 (ante US$ 53,3 bilhões).

Segundo a pesquisa, as reservas internacionais devem terminar o ano com um total de US$ 380,2 bilhões e 2013 em US$ 396,3 bilhões. O superávit primário deve ficar em 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012, o mesmo porcentual projetado para 2013, refletindo ação anticíclica do governo federal no período recente e também alguma piora na receita em função do crescimento econômico mais baixo.

A dívida líquida do setor público deve chegar a 35,5% do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano e a 34% em 2013. Com esses resultados, os analistas consultados esperam que o risco Brasil medido pelo índice EMBI fique em 171 pontos em 2012 e em 170,9 pontos em 2013.

EUA

A pesquisa da Febraban também aponta expectativas das 28 instituições consultadas a respeito do crescimento, da inflação e da taxa de juros da economia dos Estados Unidos. O crescimento do PIB norte-americano deve atingir 2,1% em 2012, sobre 2,2% anteriormente projetado, enquanto em 2013 o avanço deve ser de 2%, 0,4 ponto porcentual abaixo da expectativa divulgada em junho.

Em relação à inflação dos EUA (CPI), a projeção é de alta de 2% em 2012, ante 2,2% projetados na pesquisa anterior, e de variação positiva de 2% no ano seguinte. A expectativa sobre a taxa de juros em 2012 permaneceu em 0,25% ao ano e para 2013 caiu de 0,3% para 0,25% ao ano.

Tudo o que sabemos sobre:
pesquisaFebraban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.