Febraban: medidas sobre tarifas aumentam transparência

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) elogiou o pacote de tarifas bancárias divulgado hoje pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). "As primeiras conclusões indicam que as medidas contribuem para a transparência do mercado, facilitando a comparabilidade das taxas e o nível de informação do consumidor", disse o diretor de Relações Institucionais da entidade, Mário Sérgio Vasconcelos.Segundo ele, as medidas incentivam a competição entre os bancos e estão "em linha com um trabalho promovido pela Febraban para a padronização das tarifas". A entidade tornou disponíveis em seu site quadros com os preços cobrados pelos principais bancos de varejo nos serviços prestados à pessoa física.Vasconcelos disse que a Febraban ainda precisa analisar com detalhes as tarifas que foram proibidas pelo BC para saber o alcance da medida. A autoridade monetária ampliou a lista de serviços bancários que não serão cobrados dos consumidores.Sobre o fim da tarifa para liquidação antecipada de crédito e a mudança no cálculo para trazer a valor presente o montante a ser antecipado, ele disse que a Febraban quer ver como a Resolução a ser divulgada especificará o assunto para depois comentá-lo.Para o diretor da entidade, o fato de os bancos terem de submeter ao BC a criação de novos serviços e tarifas não significa, necessariamente, um engessamento da operação bancária, como se temia. "Precisamos esperar a regulamentação para ver se isso dificultará a criação de novos produtos, mas aparentemente a medida só busca dar mais clareza ao processo", disse.Vasconcelos afirmou que a Febraban participou de forma ativa da criação das medidas fornecendo dados e apresentando avaliações. Por diversas vezes, a entidade foi ouvida pelo BC e pela Fazenda. "Mas foram eles que fecharam o pacote", destacou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.