coluna

Carolina Bartunek no E-Investidor: 5 tendências prejudiciais para quem investe em ações

Febraban nega fim de contrato de Murilo Portugal

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) negou, nesta terça-feira, 29, ao Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, por meio de sua assessoria de imprensa, que o vínculo do presidente da Federação, Murilo Portugal, seja regido por um contrato cuja vigência vence em março.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Agencia Estado

29 de outubro de 2013 | 10h41

Segundo reportagem veiculada nesta terça-feira pelo jornal O Globo, integrantes da Febraban, insatisfeitos com a atuação do executivo, já estariam discutindo internamente a substituição de Portugal por um representante de um dos grandes bancos. Ou seja, a Febraban estaria voltando ao antigo sistema de rodízio entre banqueiros para preencher o cargo.

"A Febraban não costuma se pronunciar sobre suas políticas internas. Mas não existe contratos com tempo determinado entre a entidade e seus funcionários. O que existe é um contrato de trabalho normal que dá à entidade o direito de demitir seus trabalhadores na hora em que quiser", informou a assessoria.

Murilo Portugal participa nesta terça-feira da abertura do 8º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP), organizado pela Febraban e pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs).

Tudo o que sabemos sobre:
FebrabanMurilo Portugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.