Febraban nega ruptura ou ajuste no crédito

O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Fábio Barbosa, afirmou que o crédito não terá "qualquer ruptura ou ajuste" e que manterá sua evolução normal. Ele havia acabado de deixar o Ministério da Fazenda, após se reunir com o ministro Guido Mantega, com o diretor de normas do Banco Central, Alexandre Tombini, e com os presidentes do Bradesco, Marcio Cypriano, do Itaú, Roberto Setubal, e do Banco do Brasil, Antônio Lima Neto, para discutir a evolução do crédito no País. Na reunião, eles analisaram o relatório de crédito relativo a fevereiro divulgado ontem pelo BC. Segundo Barbosa, a avaliação dos números foi positiva e a percepção de Mantega e dos próprios bancos é que os empréstimos "têm crescido de forma tranqüila". Para o dirigente, o aumento dos empréstimos tem ocorrido de forma "muito sólida". Sobre as operações com prazos mais longos, como financiamentos de veículos em até 100 meses, ele minimizou o impacto e disse que esses financiamentos são minoria no mercado. "São residuais", afirmou. O presidente da Febraban disse ainda que o encontro de hoje faz parte do contato que a equipe econômica do governo mantém regularmente com vários setores da economia, como o ramo siderúrgico, que foi recebido na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.