Febraban prevê guerra fiscal com extensão do ISS a bancos

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) ainda não calculou qual impacto terá sobre as tarifas bancárias a extensão do Imposto Sobre Serviços (ISS) para todos os serviços bancários. "Ainda não sabemos qual será o impacto nas tarifas porque as prefeituras não divulgaram suas alíquotas para o imposto e em quanto isso incidirá sobre os custos de cada instituição", disse hoje o economista-chefe da Febraban, Roberto Luís Troster.Ele admitiu a possibilidade de as prefeituras promoverem uma guerra fiscal, reduzindo o ISS a fim de estimular os bancos a mudarem as suas sedes. "No passado, quando havia incidência de ISS, algumas instituições mudaram de cidade, mas não podemos avaliar se isso voltará a acontecer agora", disse. No próximo ano, o ISS vai incidir sobre serviços como administração de fundos, manutenção de contas correntes e contratação de operações de cartões de crédito. Atualmente, 101 serviços são tributados pelo ISS. Essa base aumentará para 208 tipos diferentes de serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.