Febraban: previsão para Selic sobe a 10,75% em 2008

A projeção média para a taxa básica de juros da economia brasileira (Selic) no final de 2008 subiu de 10,25% para 10,75% ao ano, de acordo com pesquisa realizada pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) com economistas de 46 instituições financeiras e que foi divulgada hoje. O levantamento, realizado após a divulgação da última ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, revela que os analistas esperam apenas duas reduções de 0,25 ponto porcentual na Selic no ano que vem, ao longo do segundo semestre.Segundo a economista-sênior da Febraban, Ana Higa, nenhum banco projetou uma elevação na taxa Selic em 2008 e um terço dos analistas pesquisados não espera nenhum corte da Selic. Contudo, 71,9% dos entrevistados avaliaram que existe alguma possibilidade de o Banco Central aumentar os juros em 2008.CâmbioCom relação à taxa de câmbio, os economistas dos bancos associados à Febraban estimam que o dólar encerre este ano em R$ 1,79, uma queda ante a projeção anterior de R$ 1,81 feita em outubro. Para dezembro de 2008, a moeda norte-americana deverá atingir, segundo o levantamento, R$ 1,84. Ainda de acordo com as projeções, o País deverá encerrar este ano com US$ 180 bilhões em reservas internacionais e alcançar a marca de US$ 200 bilhões no final do ano que vem.Questionados sobre os fatores que poderiam levá-los a alterar as projeções, os economistas responderam que o preço das matérias-primas, a redução do crescimento da economia global e o risco de recessão nos Estados Unidos são os principais riscos ao cenário internacional. Na economia doméstica, a pressão da demanda é vista como a principal preocupação para 87% dos entrevistados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.