Febraban: temor é que crise afete balança comercial

A pesquisa de projeções macroeconômicas da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) mostrou que a maior preocupação dos bancos entrevistados pela instituição é o menor crescimento da economia global, o que afetaria diretamente o comércio externo brasileiro. De fato, a diminuição das expectativas de saldo comercial para este ano e o próximo ficou patente no levantamento da Febraban. A média das previsões para o superávit comercial brasileiro neste ano foi revisado em baixa para US$ 27,4 bilhões, ante a leitura anterior de US$ 28,69 bilhões de fevereiro."A preocupação é que, se houver realmente uma desaceleração muito forte no mundo, isso afete o preço de commodities", declarou o economista-chefe da Febraban, Nicola Tingas. Segundo ele, este cenário poderia prejudicar a balança comercial do País e levar o dólar a se desvalorizar muito, o que teria um impacto sobre a inflação. Tingas, no entanto, acredita que, se este cenário se concretizar, será de forma apenas marginal.Para o ano que vem, a média das projeções para o saldo comercial brasileiro é que seja positivo em US$ 20,44 bilhões, também abaixo do cálculo anterior, de US$ 22,24 bilhões.Da mesma maneira, as projeções para o déficit em transações correntes foram revisadas em alta. Para este ano, as previsões subiram de um saldo negativo de US$ 6,3 bilhões para US$ 8,4 bilhões e, para 2009, de um déficit de US$ 12,62 bilhões para US$ 14,38 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.