Febre aftosa em humanos é rara, diz especialista

Mesmo afetando negativamente a cadeia produtiva de carne bovina brasileira, a febre aftosa não atinge diretamente a saúde humana. "A contaminação humana devido à ingestão de carnes ou produtos lácteos não foi comprovada?, disse a médica veterinária Edviges Maristela Pituco, do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Animal do Instituto Biológico de São Paulo e membro do Comitê Técnico do SIC (Serviço de Informação da Carne)..Segundo a especialista, a febre aftosa é considerada uma zoonose e afeta raramente os seres humanos. ?A infecção em humanos só ocorre se houver exposição massiva", afirma. Ela diz que a transmissão pode acontecer por contato com animais doentes ou material infeccioso, por meio de pequenas ou pela ingestão de leite não pasteurizado.De acordo com dados do Instituto Biológico, a doença afeta a população apenas no aspecto econômico, já que prejudica os produtores e provoca barreiras à exportação. ?A febre aftosa incide negativamente nas atividades comerciais e onera os custos públicos e privados, pelos investimentos necessários para a prevenção, controle e erradicação?, afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.