Fecomércio aponta queda de 31,13% em oferta de empregos no RJ

O número de empregos oferecidos pelos setores de comércio, serviços, turismo e construção civil na região metropolitana do Rio de Janeiro registrou uma queda de 31,13% em setembro na comparação com mesmo mês do ano passado. O salário médio também caiu, de R$ 521,30 para R$ 504,80. .Tomando por base o acumulado do ano, o número de empregos nesta região também ficou menor. Foram oferecidas 68.247 vagas, o que significa uma redução de 24,69% nas vagas em relação ao mesmo período de 2002, quando foram contabilizadas 90.617 vagas. As informações são da Pesquisa de Oferta de Empregos do Instituto Fecomércio-RJ, que verificou nos classificados dos principais jornais locais anúncios de 7.548 vagas para 317 cargos em setembro. O comércio é um dos primeiros setores a serem afetados tanto em caso de crise quanto em uma recuperação econômica, segundo a entidade.Na comparação com agosto deste ano, a pesquisa apontou em setembro um crescimento de 9,11% no número de vagas. Foi o segundo aumento consecutivo, mas o crescimento desta vez foi menor já que em agosto as vagas já tinham sido 17,97% superiores a julho. A média salarial, porém, caiu 12,52% em setembro, ficando em R$ 504,80, contra R$ 577,05 em agosto. PerspectivasAs expectativas para este mês são também de crescimento de emprego. "O início do programa Primeiro Emprego, do governo federal, associado às contratações temporárias de fim de ano e à recuperação da economia, deve levar ao aumento da oferta de emprego, o que concorrerá para a reativação do comércio. ?Assim, as expectativas para outubro já são otimistas", diz o diretor da Fecomércio, Luiz Roberto Cunha, em nota da entidade. Os maiores salários médios foram divulgados para os cargos de Analista Programador (R$ 3.500), Contador (R$ 2.210,00) e Comprador (1.300,00). Entre as oportunidades divulgadas, 52,03% pediam para apresentar currículo atualizado na seleção; 35,10% exigiam Ensino Médio completo; 28,71% pediam candidatos com experiência na área de trabalho. Outras exigências dos empregadores notadas pela Fecomércio, foram idade acima de 18 anos (14,79%) e prática comprovada em carteira (9,54%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.