Fecomercio aponta queda de 4,26% no faturamento em março

O faturamento do comércio na Região Metropolitana do Rio de Janeiro caiu 4,26% em março, ante março do ano passado, segundo pesquisa Opinião do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, coordenada pelo Instituto Fecomércio-RJ. Segundo a organização, é a terceira queda consecutiva neste tipo de comparação. Dos 26 ramos pesquisados, apenas cinco registraram alta na receita, com destaque para o segmento de Farmácia, cuja receita subiu 7,82% em março, ante março de 2003.Os setores de CDs, Auto-Peças e Diversão foram os que apresentaram as reduções mais intensas no faturamento, com quedas de 15,45%, 14,16% e 10,19%, respectivamente, na mesma comparação. A pesquisa abrange 1.527 estabelecimentos comerciais da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.Para o presidente da Fecomércio, Orlando Diniz, os sucessivos desempenhos negativos do comércio são originados da dificuldade que o consumidor vem enfrentando para recuperar sua renda. Para se ter uma idéia desta dificuldade, a Fecomércio observa que o total de cheques sem fundos recebidos aumentou de 2,40% em fevereiro para 2,94% em março.Quanto aos pedidos para fornecedores, o número de unidades pedidas caiu 0,88% em média, em março, ante fevereiro. Ao renovarem seus pedidos aos fornecedores em março, na comparação com fevereiro, os varejistas pagaram em média 3,91% a mais pelas mercadorias.No comércio, o nível de pessoal empregado foi reduzido em 1,46% em março, ante março do ano passado - no mesmo ritmo registrado em igual mês de 2003, quando houve queda de 1,53% no número de empregados dispensados, ante março de 2002. Já a participação média do cartão de crédito nas vendas do comércio de bens, serviços e turismo representou 36,90% da receita total, ante os 35,22% registrados em fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.