Fecomercio prevê inflação em alta também em julho

Os economistas da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) acreditam que os preços no varejo terão nova alta em julho. De acordo com eles, esta estimativa é possível porque este mês está sujeito às mesmas condições climáticas e influências de custo que contaminaram os preços em junho. No mês passado, o Índice de Preços no Varejo (IPV) registrou avanço de 1,55%, o segundo maior do ano. Sem arriscar um número para o fechamento do mês, os analistas argumentaram que o quadro que contribuiu para a formação de preços em junho não deverá ser alterado no curto prazo. "Somente a partir de agosto, com o começo das colheitas e o fim da sazonalidade do segmento de vestuário, deve haver recuo dos preços no IPV", avaliaram os economistas por meio de nota à imprensa.Em junho, a taxa acumulada em 12 meses elevou-se mais um pouco, para 6,86%. Para o fechamento deste mês, os economistas prevêem que o acumulado em 12 meses deve aumentar levemente de novo. A inflação oficial, que tem como base Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), prevista para este ano é de6,5% a 7%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.