Fecomércio-RJ apura maior desejo por compra de carro

O consumidor está com menos dívida e mais disposição de adquirir automóveis, revela uma pesquisa sobre o orçamento e a inadimplência das famílias da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), divulgada nesta sexta-feira. Dos mil entrevistados, no período de 20 a 31 de julho, 59,3% afirmaram não ter contas pendentes a pagar. Em junho, o porcentual era de 58,7%.

FERNANDA NUNES, Agencia Estado

17 de agosto de 2012 | 18h13

Também cresceu, na passagem do mês, o número dos que informaram financiar a compra de veículos, de 13,8% para 17,9%. Em contrapartida, caiu a taxa dos que financiam a compra de vestuário, de 24,9% para 21%.

"Parece que o pior já passou. Estamos vendo a crise no retrovisor. O freio no consumo era algo natural em um período mais nebuloso. Não interessa ao comércio um consumo desorganizado. O interessante é que, em julho, a tomada de financiamento reduziu", afirmou Christian Travassos, economista da Fecomércio-RJ. O índice de empréstimo bancário, em julho, foi de 4,7%, ante 7,9% no mês anterior.

Os dados da inadimplência são positivos, segundo o economista, e apontam um cenário ainda melhor neste segundo semestre. Com a manutenção do emprego e com o acesso a fontes extras de renda, como o recebimento da restituição do imposto de renda, o consumidor tende a quitar as suas dívidas, o que o libera para novas aquisições. O porcentual dos que afirmaram que vai faltar dinheiro para arcar com todas as despesas diminuiu de 26% em junho para 19,3% em julho.

"A pesquisa da Fecomércio demonstra melhora no cenário econômico, assim como outros indicadores. A pesquisa de comércio do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) comprovou isso ontem (quinta-feira) e também a de emprego do Ministério do Trabalho. É perceptível que vivemos em um momento de retomada gradual", declarou Travassos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.