Fecomercio-SP critica intenção de reduzir crediário

A Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) criticou hoje a intenção do governo federal de reduzir o prazo do crediário, como forma de conter o consumo e controlar pressões inflacionárias.De acordo com a entidade, a medida restringe a liberdade do mercado. "O crédito é um combustível essencial para manter o consumo aquecido, uma vez que a renda é insuficiente para sustentá-lo", disse o presidente da Fecomercio-SP, Abram Szajman.A entidade reconhece a importância da preocupação do governo em administrar a demanda por produtos que possam comprometer, a longo prazo, uma parcela significativa da renda de grande parte dos brasileiros. No entanto, a Fecomercio-SP pondera que o correto seria a utilização de instrumentos de política monetária, como a redução no volume de crédito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.