Fecomercio-SP: gasto via cheque supera cartão em 70%

O valor total movimentado pelos brasileiros por meio de cheques no primeiro semestre deste ano somou R$ 511,6 bilhões, montante 70% superior ao volume envolvendo cartões de crédito (R$ 301,8 bilhões), segundo levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) feito com base em dados do Banco Central (BC). Segundo a entidade, os cheques pré-datados em parcelamentos ou entradas para a compra de itens mais caros são os principais responsáveis pelo alto valor registrado para esse tipo de transação.

AE, Agencia Estado

20 de setembro de 2011 | 16h31

"Quando se parcela em valores elevados, a taxa de administração cobrada pelas operadoras de cartões inviabiliza seu uso, com isso estimula o uso do cheque. Além disso, poucas pessoas possuem limite alto no cartão de crédito para cobrir despesas elevadas. Por fim, a emissão de cheques administrativos também colabora para o elevado valor médio dos cheques, atualmente", afirma a Fecomercio-SP, em nota distribuída hoje à imprensa.

A entidade classifica os números de "surpreendentes", já que o total de transações feitas com cartões de crédito equivale a 7,5 vezes a quantidade de cheques compensados no período - 3,8 bilhões ante 508,8 milhões de negociações. O valor médio mensal gasto no cartão de crédito foi de R$ 78,81, contra R$ 1.005,53 dos cheques compensados.

Além disso, o levantamento revela que a média mensal de estoque de cartões de crédito no primeiro semestre foi de 646 milhões, o correspondente a 3,4 unidades por brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
comércioFecomercio-SPchequecartão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.