Fecomercio-SP projeta endividamento estável dos consumidores

O total de consumidores endividados consultados pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) deve manter o patamar de 57%, registrado em julho, também em agosto. O número de endividados com contas em atraso, no entanto, deve subir de 49% para 52% no período e o comprometimento da renda dos endividados deve ficar praticamente estável, passando de 37% para 38%. Os dados foram divulgados hoje pela Federação, em levantamento feito com aproximadamente 1.000 consumidores em 1.600 estabelecimentos da Região Metropolitana de São Paulo.As projeções da Fecomercio-SP para o final do ano estão praticamente nos mesmos patamares ou até mais baixos: 57% para o número total de endividamento, 44% para endividados com conta em atraso e 38% de comprometimento da renda.Segundo o assessor econômico da entidade, Antonio Carlos Borges, estes números mostram que o modelo de expansão de vendas sustentadas pelo crédito tem um limite. "Quando as contas atrasam, as pessoas se contêm em seus gastos", afirmou. Além disso, a prática do comércio, segundo ele, de alongar prazos de pagamento para que "a prestação caiba no bolso", chegou ao máximo.

Agencia Estado,

01 de agosto de 2005 | 15h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.