Fecomercio-sp repudia eventual reedição da CPMF

A Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) avalia, em nota, que a eventual reedição da CPMF - que passaria a ter caráter permanente - ou de qualquer proposta semelhante demanda um veemente repúdio não só das lideranças empresariais, mas de toda a sociedade brasileira.A entidade diz ainda que, com o aumento do IOF e da CSLL, já haverá acréscimo da arrecadação de R$ 10 bilhões. O corte de gastos públicos deve resultar em uma economia de cerca de R$ 20 bilhões. Tais montantes somados à arrecadação com eventual nova CPMF de 0,20%, que poderia gerar cerca de R$ 20 bilhões, resultariam em uma arrecadação total de R$ 50 bilhões. A arrecadação com a extinta CPMF era de cerca de R$ 40 bilhões.Para a Fecomercio, "nessa situação, haveria aumento imediato da carga tributária. Além disso, somente com o crescimento da economia, pode-se esperar uma arrecadação adicional da ordem de R$ 40 bilhões, considerando o atual porcentual da carga tributária".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.