R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Fed adia por dois anos novas exigências para capital de bancos

Novo prazo deve dar às instituições mais flexibilidade para atender às exigências, segundo BC dos Estados Unidos

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

17 de março de 2009 | 11h11

O Federal Reserve (Fed, o BC norte-americano) anunciou nesta terça-feira, 17, o adiamento por dois anos das novas exigências para capital das holdings bancárias, que passariam a valer no final deste mês, diante das contínuas condições apertadas no mercado financeiro.

 

Veja também:

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

especialDicionário da crise  

 

As novas regras de adequação de capital limitariam as holdings bancárias de incluir trust preferred securities (títulos similares a debêntures, geralmente de longo prazo, que têm características de resgate antecipado, pagam juro fixo trimestral e vencem no valor de face) e outros elementos na medida Tier 1 de nível de capital. Esses limites deveriam entrar em vigor em 31 de março de 2009, segundo regulamentação adotada pelo Fed em 10 de março de 2005.

 

O Fed afirmou que o adiamento deve dar às instituições financeiras mais flexibilidade para atender às exigências de capital federais. "O adiamento vai aumentar os esforços (da diretoria do Fed), bem como os esforços de outras agências bancárias federais e do Departamento do Tesouro, de responder à situação financeira atual", afirmou o Fed no comunicado.

 

O Fed acrescentou que as condições econômicas nos últimos 18 meses "criaram uma situação na qual exigir adesão aos novos limites até 31 de março de 2009 colocaria um fardo substancial em muitas holdings bancárias de uma maneira não prevista quando a regra final foi adotada em 2005".

 

"Portanto, para promover estabilidade nos mercados financeiros e na indústria bancária como um todo, o conselho diretor decidiu adiar a data para os novos limites entrarem em vigor até 31 de março de 2011", acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.