Fed cita riscos ao crescimento para reduzir juros

O Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve (banco central americano) decidiu reduzir a meta para a taxa dos Fed Funds em 0,75 ponto porcentual, para 3,50%. O comitê tomou essa decisão em vista da perspectiva de enfraquecimento econômico e aumento dos riscos negativos para o crescimento. Enquanto as restrições nos mercados de funding de curto prazo se atenuaram de uma certa maneira, as condições do mercado financeiro mais amplo continuaram a se deteriorar e o crédito ficou mais apertado para algumas empresas e famílias. Além disso, as informações que têm surgido indicam um aprofundamento da contração do setor de moradia, assim como alguma suavização dos mercados de trabalho.O comitê espera que a inflação fique mais moderada nos próximos trimestre, mas será necessário continuar monitorando o desenvolvimento da inflação cuidadosamente.Riscos negativos "apreciáveis" para o crescimento continuam. O comitê vai continuar a monitorar os efeitos dos desenvolvimentos financeiros e outros desdobramentos em relação às projeções econômicas e agirá da maneira "precisa" que for necessária para fazer frente a esses riscos.Votaram pela ação de política monetária do Fed: o presidente Ben Bernanke, o vice-presidente Timothy F. Geithner; Charles Evan, Thomas Hoenig, Donald Kohn, Randall Kroszner, Eric Rosengren e Kevin Warsh. Votaram contra a decisão: William Poole, que não acredita que as atuais condições justificam uma ação de política monetária antes do encontro agendado para a próxima semana. Frederic Mishkin esteve ausente e não votou. Em uma ação relacionada, o conselho de governandores aprovou um corte de 0,75 ponto porcentual na taxa de redesconto, para 4%. Ao tomar essa ação, o conselho aprovou pedidos apresentados pelos conselhos de diretores das unidades do Fed de Chicago e Minneapolis. Informações retransmitidas pela Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.