Fed destaca deterioração nas expectativas de inflação

Entre o comunicado divulgado hoje e o do encontro anterior, de 18 de março, o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) fez algumas modificações no texto que aparentemente ressaltam uma maior preocupação com relação à deterioração nas expectativas inflacionárias, ao mesmo tempo em que reconhece a fraqueza atual da economia, sugerindo um aumento na incerteza com relação à perspectiva futura.No comunicado de 18 de março, quando o Fed reduziu o juro em 0,75 ponto porcentual, o Fed disse que: "A recente informação indica que a perspectiva para a atividade econômica se enfraqueceu mais. O crescimento nos gastos de consumo desaceleraram e os mercados de mão-de-obra se enfraqueceram".No comunicado de hoje, que anunciou um corte de 0,25 ponto no juro básico, para 2% ao ano, o Fed disse que: "A recente informação indica que a atividade econômica permaneceu fraca. Os gastos de consumo e das empresas têm sido reprimidos e os mercados de mão-de-obra enfraqueceram mais".Com relação à inflação, no comunicado de 18 de março, o Fed disse: "A inflação tem sido elevada e alguns indicadores de expectativas de inflação subiram". No comunicado de hoje, o Fed expressou um pouco mais sua preocupação com relação à pressão inflacionária dizendo: "Embora as leituras de inflação núcleo tenham melhorado um tanto, os preços de energia e outras commodities subiram, e alguns indicadores de expectativas de inflação subiram nos últimos meses".No último parágrafo, o Fed retirou uma frase que constava do comunicado do dia 18: "Contudo, os riscos de declínio para o crescimento permanecem". No comunicado de hoje, o Fed apenas disse que: "O substancial afrouxamento da política monetária até agora, combinado com as medidas em andamento para fomentar a liquidez do mercado, devem ajudar a promover crescimento moderado ao longo do tempo e a aliviar os riscos para a atividade econômica. O Comitê vai continuar a monitorar os desenvolvimentos econômicos e financeiros e vai agir quando necessário para promover o crescimento econômico sustentável e a estabilidade de preço".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.