Fed diz que bancos precisam melhorar gestão de riscos

Bernanke alertou que condições são frágeis e exortou bancos a se manterem "pró-ativos" em captar recursos

Regina Cardeal, da Agência Estado,

15 de maio de 2008 | 11h14

O presidente do banco central dos Estados Unidos, Ben Bernanke, apresentou uma avaliação otimista das condições financeiras, afirmando que está "encorajado" pela recente capacidade dos bancos de levantar capital de "diversas" fontes. Em texto preparado para discurso em conferência do Fed de Chicago, Bernanke alertou que as condições continuam frágeis e exortou as instituições financeiras a se manterem "pró-ativas" na captação de capital novo, afirmando que isso vai criar "novas oportunidade de lucro quando as condições dos mercados financeiros e da economia melhorarem". Veja também: Entenda a crise nos Estados Unidos   Boa parte do discurso de Bernanke - que não se referiu à economia ou à política monetária - versou sobre lições da recente crise financeira. Bernanke disse que a recente turbulência financeira mostra a importância de medidas pró-ativas das empresas como testes de estresse, gestão de risco de liquidez e metodologias de valuation (relação entre risco e retorno). Ou seja, ferramentas que permitem verificar a solidez dos ativos. "Os testes adequados de estresse podem permitir um melhor entendimento de como será o desempenho (das obrigações da dívida colateralizada) sob condições extremas do mercado", disse Bernanke. Ele disse que o recente episódio sugere que "as firmas que prestam atenção de perto aos problemas associados com a valuation dos instrumentos financeiros, sobretudo aqueles cujos mercados não são profundos, tiveram desempenho melhor".  Há lições para os supervisores de bancos também, disse Bernanke. "Esta claro que os supervisores precisam redobrar seus esforços para ajudar as organizações a melhorarem suas práticas de gestão de risco", disse. "Nós aumentamos a atenção supervisora a esta questão." "Nós centramos foco nas instituições que mais precisam de avanços, mas vamos continuar lembrando as instituições mais fortes da necessidade de continuarem vigilantes, particularmente à luz da atual fragilidade das condições do mercado", disse.  Ele afirmou que os reguladores também estão estudando se novas diretrizes sobre gestão de risco "incluindo maior ênfase na necessidade de uma perspectiva ampla de empresa ao avaliar o risco" são necessárias. Bernanke também disse que a implementação dos acordos de capital de Basiléia 2 vai ajudar a tornar os mercados financeiros mais resistentes a futuros choques. As informações são da agência Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.