Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Fed e balanços impulsionam Bolsas

Investidor vendeu Treasuries e comprou ações na Ásia, Europa, EUA e Brasil; dólar, juro e risco País caem

Claudia Violante, Silvana Rocha e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2009 | 00h00

As Bolsas subiram, ontem, na Ásia, Europa, Estados Unidos e Brasil, ainda reagindo à indicação dada pelo comunicado do Federal Reserve de que está otimista com as perspectivas de crescimento e colocando as preocupações com o mercado de crédito em segundo plano. Balanços corporativos favoráveis norte-americanos e brasileiros e dados positivos do setor de hipotecas nos EUA deram impulso adicional aos negócios. Em Wall Street, o Dow Jones subiu 1,14%, a 13.657,9 pontos. Os investidores voltaram a vender Treasuries, cujos preços cederam e os juros avançaram. Aqui, a Bovespa ganhou 2,67%, para 55.241,4 pontos. Após subir 1,7% nas três sessões anteriores, o dólar à vista caiu 1,05%, a R$ 1,887 na BM&F, e 1,10%, a R$ 1,886 no balcão. O juro de janeiro 2010 recuou a 11,13%. O risco Brasil levou um tombo de 11,34%, a 172 pontos-base.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.