Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Fed eleva previsão do PIB, mas prevê desemprego alto

As autoridades do Federal Reserve (Fede, banco central americano) estavam levemente mais otimistas em relação à perspectiva econômica dos EUA em sua reunião há três semanas, mas não o suficiente para decidir pelo encerramento do programa de US$ 600 bilhões de compra de Treasuries (títulos do Tesouro).

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2011 | 17h31

A ata do encontro do comitê de política monetária (Fomc) do Fed dos dias 25 e 26 de janeiro mostrou que o Fed espera que o PIB dos EUA cresça entre 3,4% e 3,9% este ano. Na previsão de novembro de 2010, a expectativa do Fed era de que a economia cresceria entre 3% e 3,6% em 2011.

Embora a economia pareça um pouco mais forte, o Fed espera que a taxa de desemprego continue elevada entre 8,8% e 9% no fim de 2011, embora tenha declinado para 9% em janeiro. Apesar do recente aumento dos preços de alimentos e energia, a inflação é vista entre 1,3% e 1,7%, em linha com as projeções de novembro e onde o Fed quer que os preços fiquem.

Com as previsões de inflação baixa e desemprego elevado, as autoridades do Fed decidiram manter a política de afrouxamento, incluindo a compra de bônus do Tesouro, em sua primeira reunião de 2011. A compra de Treasuries, que começou em meados do ano passado e deve terminar em junho, é destinada a estimular a economia ao manter o juro baixo e impulsionar as ações.

A ata mostrou um minoria dentro do Fed ainda insegura sobre o quanto a compra de bônus está ajudando a economia e que acredita que o estímulo deve ser reconsiderado se os dados continuarem apontando para um economia suficientemente forte. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBdesempregoFedEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.