Fed está atento às turbulências do mercado financeiro, diz Powell

Fed está atento às turbulências do mercado financeiro, diz Powell

Bolsas americanas fecharam em leve alta nesta terça-feira; na Europa, movimento foi de queda

Agências internacionais, O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2018 | 22h57

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou nesta terça-feira, 13, em cerimônia de posse como chefe do banco central americano que o Fed continuará observando os riscos sobre a estabilidade financeira e preservará melhorias “essenciais” na regulação financeira.

Falando após a queda do mercado que cortou 10% do valor dos principais índices acionários dos Estados Unidos, Powell afirmou que o Fed “preservará os ganhos essenciais na regulação financeira ao mesmo tempo que busca garantir que nossas políticas sejam tão eficientes quanto possível. Continuaremos alertas a qualquer risco à estabilidade financeira”.

Powell assumiu oficialmente na semana passada, mas ontem foi realizada uma cerimônia de posse da qual participaram parentes e amigos. O juramento foi conduzido por Randall Quarles, vice-presidente do Fed para regulação financeira e amigo de longa data do novo presidente do banco central.

A posse vem após um período de relativa calma nos mercados financeiros ter sido interrompido por preocupações com o aumento da taxa de juros nos EUA e déficits orçamentários no país. Ele não falou explicitamente sobre essas questões em suas declarações nem mencionou as perspectivas para a política monetária dos Estados Unidos.

Mercado. As bolsas americanas fecharam ontem em alta pela terceira sessão seguida, ainda se recuperando de duas semanas de forte queda, provocadas pelo temor de um superaquecimento da economia. O índice Dow Jones fechou em alta de 0,16%; o S&P 500 subiu 0,26%; e o Nasdaq ganhou 0,45%. As bolsas começaram o dia em queda e permaneceram em território negativo até o meio da tarde, quando ações de bancos passaram a impulsionar os índices.

Apesar disso, nos níveis atuais, o mercado de ações americano ainda amarga perdas de cerca de 7% desde a máxima do ano no mês passado.

Já as principais praças europeias fecharam em ligeira queda, após também terem começado a semana em alta. Em Londres, o FTSE-100 encerrou em queda de 0,13%; em Paris, o CAC-40 caiu 0,60%; e em Frankfurt, o DAX teve baixa de 0,70%.

Projeção. Para a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, a recente onda de vendas nos mercados acionários e o salto na volatilidade não prejudicarão as fortes perspectivas da economia dos EUA. Ela ainda fez um alerta contra reações exageradas à turbulência nos mercados financeiros. “Embora uma queda mais profunda e persistente nos mercados acionários possa prejudicar a confiança e levar a um recuo na tomada de risco e nos investimentos, os movimentos que temos visto estão longe desse cenário”, disse Loretta sobre a queda dos mercados acionários.

O recuo de mais de 10% aconteceu, disse Loretta, apenas após um período de recordes e, “por enquanto, acredito que a economia passará por esse episódio de turbulência do mercado e não mudei meu cenário. Na minha visão, os fundamentos básicos que sustentam a economia são sólidos”.

As declarações são um sinal importante de uma das autoridades do banco central americano que tem mostrado forte preocupação sobre a estabilidade do mercado financeiro e com a perspectiva de que o Fed pode arriscar uma aceleração da inflação ao não elevar a taxa de juros rápido o suficiente.

Loretta disse que no momento sente que os juros deveriam subir a um ritmo “similar ao do ano passado”, quando o Fed elevou a taxa básica dos EUA três vezes. A perspectiva é de três altas neste ano também.

Nas últimas duas semanas, a preocupação de que o avanço da inflação nos Estados Unidos forçaria o Fed a aumentar as taxas de juros mais rapidamente do que o esperado provocou forte volatilidade no mercado global de ações. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.