Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Fed: EUA terão desaceleração destacada no 4º trimestre

O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Ben Bernanke, disse que, embora os mais recentes dados indiquem uma economia "resistente", o crescimento do PIB norte-americano deverá desacelerar "notavelmente" neste trimestre e em 2008, quando haverá uma intensificação do declínio do setor de moradia. Contudo, a economia deverá se fortalecer no final do próximo ano, disse Bernanke, e os recentes cortes no juro feitos pelo Fed colocaram os riscos para o crescimento e a inflação aproximadamente em equilíbrio. Os comentários do presidente do Fed sugerem que, de uma perspectiva econômica ampla, outro corte no juro em dezembro é improvável, embora ele tenha deixado a porta aberta para ações futuras. Desde o último encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), quando os membros reduziram a taxa básica de juros em 0,25 ponto porcentual, para 4,50% ao ano, "os poucos indicadores divulgados que se tornaram disponíveis continuaram a sugerir que a economia geral permaneceu elástica (com pronta capacidade de recuperação) nos últimos meses", disse Bernanke em depoimento preparado para o Comitê Econômico Conjunto do Congresso. "Contudo, a volatilidade do mercado financeiro e as pressões persistem", disse o presidente do Fed, acrescentando que as preocupações do investidor com relação ao setor de moradia e suas implicações sobre a economia mais ampla se "intensificaram". As informações são da Dow Jones.

SUZI KATZUMATA, Agencia Estado

08 de novembro de 2007 | 13h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.