Fed: juro não cairá, mesmo com contração nos EUA

A ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), realizada em abril e divulgada hoje, sugere que não haverá novas reduções da taxa básica de juro dos Estados Unidos em breve. De acordo com o documento, a decisão de reduzir o juro básico no país em 0,25 ponto porcentual para 2% ao ano em abril foi "apertada" e muitos participantes acreditam que novos afrouxamentos da política monetária são improváveis, mesmo que a economia americana sofra uma contração.Desde setembro do ano passado, o BC americano efetua cortes no juro básico do país com o intuito de conter a crise financeira que ameaça a economia americana. Naquele época, a taxa básica de juros dos EUA estava em 5,25% ao ano. Os dirigentes do Fed também disseram que, embora as chances de que a economia americana possa ser seriamente afetada tenham diminuído, os riscos continuam a ser para baixo, por causa da debilidade dos mercados de moradias e de mão-de-obra. "Vários integrantes notaram ser improvável que seja apropriado afrouxar a política em reação a informações que sugiram de que a economia dos EUA esteja se desacelerando ainda mais ou mesmo se contraindo", a não ser que haja um enfraquecimento "significativo" da perspectiva, diz a ata.O documento acrescenta que "embora a probabilidade de que a atividade econômica seja seriamente afetada por uma deterioração aguda nos mercados financeiros tenha, aparentemente, se reduzido, a maioria dos membros pensava que os riscos diante do crescimento econômico ainda estavam inclinados para baixo". A ata diz ainda que "já não era apropriado", em abril, falar em riscos crescentes de desaceleração, já que "se pensava que agora estavam mais equilibrados pelos riscos de inflação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.