Spencer Platt/AFP
Spencer Platt/AFP

EUA não vão elevar juros até que inflação volte ao normal, diz vice-presidente do Fed

Segundo Stanley Fischer, vice-presidente do banco central americano, a economia dos EUA ainda não se normalizou

O Estado de S. Paulo

10 de agosto de 2015 | 09h38

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) está preocupado com a inflação baixa do país e não vai elevar os juros básicos antes que os preços voltem para níveis considerados normais, afirmou o vice-presidente do Fed, Stanley Fischer, em entrevista à Bloomberg TV.

"A situação interessante em que estamos é que o emprego está crescendo bem rápido em relação ao desempenho anterior e, ainda assim, a inflação está muito baixa. E a preocupação é não agir antes de virmos a inflação, assim como o emprego, voltando para níveis mais normais", disse Fischer.

Segundo Fischer, se o Fed estivesse preocupado unicamente com a inflação, a instituição teria de tentar ser mais acomodatícia, se possível. A economia, por sua vez, ainda não se normalizou, mas "esperamos fazer isso", declarou o vice do Fed à emissora norte-americana.

Fischer disse ainda concordar que a inflação precisa ganhar força, mas afirmou ser contrário a uma meta anual de 4%. A meta atual de inflação do Fed é de 2%. Para ele, boa parte da desaceleração dos preços é temporária e está relacionada aos preços do petróleo e das matérias primas. "Essas são coisas que vão se estabilizar em algum momento, então não continuaremos (com a inflação) baixa do jeito que está para sempre", comentou Fischer.

O vice-presidente do Fed também afirmou que os indicadores econômicos precisam balizar as decisões de política monetária. "É bom que fiquemos atentos aos dados e às expectativas de inflação", disse. Fonte: Dow Jones Newswires.

Alta próxima. Há quem já afirma, porém, que a alta do juro está próxima. As condições econômicas nos Estados Unidos voltaram em grande parte ao normal e a decisão do Federal Reserve de elevar os juros deve vir em breve, disse o presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart. "Acho que o momento da alta de juros está próximo", disse Lockhart em um discurso preparado para o Atlanta Press Club. "A economia teve grandes ganhos e está se aproximando de um normal aceitável... as condições não são mais extraordinárias".

No texto do discurso, Lockhart não repetiu comentário recente de que estaria pronto para votar a favor da alta de juros no mês que vem. No entanto, deixou claro que sente que a economia superou as principais obstáculos vistos mais cedo neste ano. (Com informações da Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
Federal ReservejuroFedEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.