coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Fed pode antever bolhas de ativos diz Bernanke

Mas presidente do banco central americano ressalva que, mesmo assim, podem surgir bolhas que não sejam identificadas previamente

CHICAGO, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2013 | 02h05

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, disse ontem que a instituição tem programas extensivos para avaliar o surgimento de potenciais bolhas de ativos, mas mesmo assim podem surgir bolhas que não sejam identificadas.

"Nós realmente tentamos identificar se os preços de grandes classes de ativos estão se desviando dos padrões históricos. Mas eu acho que seria arrogante pensar que podemos sempre identificar possíveis bolhas. Não é óbvio que um desalinhamento ou uma relação incomum do ponto de vista histórico seja um problema", disse.

Segundo Bernanke, o Fed não depende apenas da sua capacidade de identificar bolhas como "primeira linha de defesa". "A questão é identificar quais são as vulnerabilidades que podem se transformar numa queda muito mais ampla de preços. Não se trata apenas de verificar se um ativo está sobrevalorizado."

Segundo ele, o objetivo é que, mesmo quando uma bolha não for identificada, o sistema seja robusto o bastante para absorver esses choque e fazer com que o problema não se amplie para uma grande crise sistêmica. Recentemente as bolsas de Nova York têm renovado máximas históricas e alguns analistas dizem que os programas de estímulo do Fed podem estar criando bolhas de ativos.

Pesquisa. Mais da metade dos 49 economistas que participaram da última pesquisa do Wall Street Journal acreditam que o BC americano vai começar a reduzir suas compras mensais de bônus até o fim do ano. Entre os que responderam, 30% preveem que o Fed começará a reduzir seu programa de compra de ativos no terceiro trimestre, enquanto 25% acreditam que será no último trimestre.

Entre os economistas que acreditam que o Fed vai manter o atual ritmo de compras até o ano que vem, a maioria (30%) afirma que o aperto monetário vai ocorrer nos primeiros três meses. "Somente quando o crescimento estiver em 3% ou mais" o Fed começará a reduzir as compras de bônus, disse Nigel Gault, do IHS Global Insight, acrescentando que isso deve ocorrer em junho de 2014.

Nenhum dos economistas entrevistados afirmou que o Fed pode aumentar suas compras de ativos, apesar de a última ata do banco central afirmar que o tamanho do programa pode "aumentar ou diminuir", dependendo do mercado de trabalho e da inflação nos próximos meses. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.