Fed pode juntar-se ao Congresso para nomear quem toma empréstimo

O Federal Reserve estuda trabalhar com parlamentares norte-americanos em formas para divulgar nomes de companhias que tomam dinheiro emprestado do banco central. A informação seria liberada com um certo atraso para que não altere os mercados, afirmou um representante do Fed.

REUTERS

26 de setembro de 2009 | 16h45

Scott Alvarez, advogado-geral do Fed, disse ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos EUA na sexta-feira que a ideia é "algo que estamos levando seriamente em consideração e na qual estamos felizes de trabalhar em conjunto".

Em testemunho sobre a proposta de legislação que iria sujeitar o Fed a auditorias realizadas pelo Escritório de Contabilidade do Governo (GAO, na sigla em inglês), ele afirmou que permitir o acesso às decisões de política monetária do Fed iria minar a independência e a credibilidade do banco central.

Mas ele foi questionado pelo presidente do comitê, Barney Frank, se o Fed cooperaria em mudanças na legislação que forneceriam mais dados sobre companhias que acessam empréstimos do Fed para as operações de mercado aberto.

"Acredito que é importante que exista um espaço de tempo antes da informação ser divulgada sobre quem compra o que, e quem vai para onde, para que isso não se transforme em informação com a qual as pessoas operam no mercado", disse Frank.

"Eu diria, entretanto, que é diferente de divulgar após um tempo. Você não tem o direito de ir a uma agência federal, pegar dinheiro emprestado e manter isto em segredo para sempre."

Tudo o que sabemos sobre:
FEDLEGISLACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.