Fed quer evitar execução de hipoteca

O Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e as agências que regulam o setor financeiro dos Estados Unidos pediram ontem aos bancos que adotem estratégias que diminuam os prejuízos dos milhões de compradores de casas que não podem pagar suas hipotecas. Desde julho de 2006, duplicou nos EUA o número de imóveis sob execução judicial à medida que mais e mais compradores se vêem em dificuldades por causa do aumento das prestações de seus financiamentos.Sexta-feira passada, o presidente dos EUA, George W. Bush, e o presidente do Fed, Ben Bernanke, disseram que promoveriam medidas para aliviar as dificuldades dos compradores de imóveis atingidos, sem que isso constitua um salvamento financeiro para os que lucraram com a especulação em anos anteriores. O comunicado de ontem é assinado pelo Conselho de Governadores do Fed, pela Corporação Federal de Garantia de Depósitos, pelo Escritório de Controladoria da Moeda e outras agências que supervisionam e regulamentam as atividades financeiras nos EUA.O comunicado disse que muitas hipotecas de alto risco, concedidas a clientes sem histórico de crédito, "foram transferidas a fundos de investimentos", que usavam esses ativos como garantia para emitir bônus. Em outras palavras: os títulos de hipotecas supervalorizadas foram usados para especulação. Entretanto, a depreciação das propriedades desde que o setor imobiliário caiu em recessão e a interrupção de pagamentos de muitos compradores enfraqueceram a liquidez neste mercado de especulação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.