Fed reduz previsão de crescimento do PIB americano

O conselho do Federal Reserve (o banco central americano) reduziu as expectativas de crescimento para o Produto Interno Bruto dos Estados Unidos neste ano, mas ressaltou que a combinação de políticas monetária e fiscal sólidas poderá estimular uma expansão mais firme nos próximos trimestres. Em relatório divulgado paralelamente ao depoimento anual do presidente da instituição, Alan Greenspan, ao Comitê Bancário do Senado, o Fed previu que a economia crescerá entre 3,25% e 3,50% neste ano, abaixo da previsão anterior, feita em julho de 2002, que indicava expansão de 3,5% a 4%. "Um grau atípico de incerteza está presente na perspectiva para economia, em grande parte, mas não apenas, em razão dos fatos geopolíticos potenciais. Os sinais da trajetória da economia nesse início de 2003 seguem confusos", afirma o relatório do Fed. "Mas as autoridades do Federal Reserve acreditam que o panorama mais provável para esse ano será de retomada do ritmo de crescimento econômico", ressaltou o relatório. A economia norte-americana cresceu apenas 0,7% no quarto trimestre. Fed reduz projeção de inflaçãoO relatório entregue ao Congresso indicou manutenção do controle da inflação até o próximo ano. A projeção para o índice de gastos com consumo pessoal, utilizado pelo Fed para avaliar a inflação, é alta de 1,25% a 1,50% em 2003, abaixo da estimativa anterior de crescimento de 1,50% a 1,75%. "As autoridades monetárias do Federal Reserve acreditam que os preços ao consumidor crescerão menos neste ano do que em 2002, especialmente se os preços de energia reverterem parte da forte alta do ano passado", diz o relatório. E eleva previsão de taxa de desempregoNo relatório, o comitê do Federal Reserve diz que a taxa de desemprego deverá subir até o fim do ano, para entre 5,75% a 6% no quarto trimestre. Atualmente, a taxa encontra-se em 5,7%. Na estimativa anterior, o Fed havia previsto a taxa entre 5,25% a 5,50% no quarto trimestre de 2003. Segundo o relatório entregue ao Congresso, a taxa foi revisada levemente em alta em consequência do programa temporário de compensação ao desemprego. As informações são da Dow Jones. Leia também: Risco de guerra torna difícil previsão sobre economia, diz Greenspan

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.