Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Fed reduz previsão de crescimento dos EUA-Ata

O Federal Reserve viu modestas melhoras nas perspectivas econômicas para os Estados Unidos em seu encontro de abril, mas contemplou a possibilidade de aumentar as compras de títulos de agências de hipotecas e de títulos do Tesouro para dar impulso adicional à recuperação econômica, mostrou a ata divulgada nesta quarta-feira.

MARK FELSENTHAL E ALISTER BULL, REUTERS

20 de maio de 2009 | 18h54

Um aumento na confiança dos setores imobiliário e financeiro está ajudando a estabilizar os gastos, segundo as autoridades do Fed, mas eles consideram muito cedo para apontar esse dados como evidências que os grandes riscos da economia estejam diminuindo.

Eles também cortaram suas previsões para o crescimento da economia norte-americana pelos próximos três anos e discutiram se devem aumentar as vendas títulos hipotecários e de papéis do governo, segundo a ata do encontro realizado no fim de abril.

"Alguns membros notaram que um novo crescimento nas compras poderia ser necessário em algum momento para promover uma ritmo maior de recuperação", disse a ata.

"Todos os membros concordaram em esperar para ver de que maneira as condições econômicas e financeiras respondem às ações governamentais já em curso, antes de decidir ajustar o tamanho ou o ritmo das compras de ativos", segundo o Fed.

Em sua mais recente previsão trimestral, o Fed projetou que a economia dos Estados Unidos se contrairá entre 1,3 por cento e 2 por cento este ano, com a taxa de desemprego subindo entre 9,2 por cento e 9,6 por cento.

Em janeiro, o Federal Reserve tinha previsto uma redução mais suave, entre 0,5 por cento e 1,3 por cento, com o nível de desemprego avançando entre 8,5 por cento e 8,8 por cento.

As bolsas de valores de Nova York interromperam os ganhos com a previsão econômica mais sombria, e os preços dos Treasuries dos EUA tiveram um rali, à espera de que as perspectivas do Fed impulsionem as compras dos títulos.

"Eu acho que o que inicialmente mandou (as ações) para baixo foi o fato de eles discutirem sobre a baixa das projeções econômicas... (Mas) eles falaram sobre estabilidade econômica, mercado imobiliário começando a se estabilizar, e enquanto uma perspectiva no curto prazo é incerta, as projeções para o longo prazo seguem favoráveis", disse Tim Ghriskey, vice-presidente de investimentos na Solaris Asset Management em Bedford Hills.

Na reunião de abril, o Fed não mexeu em sua meta para as taxas de juros para financiamentos federais, mantendo-as ainda próximas de zero, o nível alcançado em dezembro. O Federal Reserve também não tomou outras medidas para elevar a quantidade de dinheiro na economia.

Um mês antes, a instituição surpreendeu os mercados financeiros ao expandir as compras de títulos de agências de hipotecas e de dívidas de 850 bilhões de dólares, garantindo que comprará 300 bilhões de dólares em títulos do Tesouro pelos próximos seis meses.

A ata revelou que enquanto a inflação parece sob controle, o perigo de os Estados Unidos sofrerem uma deflação semelhante à do Japão é pequena.

Tudo o que sabemos sobre:
FEDATAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.