Fed vê economia americana mais forte, mas lenta recuperação

Diante desse cenário, banco central avisa que taxas de juro devem continuar no nível recorde de baixa

Regina Cardeal, da Agência Estado

06 Janeiro 2010 | 17h44

As autoridades do Federal Reserve (Fed, banco central americano) reconheceram no mês passado que a economia norte-americana está ganhando impulso, mas julgaram que a recuperação não é forte o suficiente para mudar a visão do banco central de que as taxas de juro devem continuar no nível recorde de baixa.

A ata da reunião dos dias 15 e 16 de dezembro do Comitê de Mercado Aberto do Fed (Fomc, na sigla em inglês), que foi divulgada nesta quarta-feira, 6, à tarde, mostra que o banco central norte-americano espera que a lenta recuperação mantenha o mercado de trabalho dos EUA fraco e os preços ao consumidor contidos. O Fed disse que a informação revisada durante a reunião sugere que "a recuperação na atividade econômica está ganhando momentum." Embora o relatório sobre o emprego em novembro tenha sido melhor do que o esperado, o Fed observou que "mais de um bom relatório seria necessário para dar evidências convincentes de recuperação no mercado de trabalho".

Houve uma sensível divisão entre os participantes do encontro sobre a previsão da inflação num prazo mais longo, segundo o site MarketWatch. A discussão teria sido tão intensa que prosseguiu após o voto formal sobre política monetária, que em geral sinaliza o fim do encontro a portas fechadas.

Segundo o mesmo site, não houve uma longa discussão sobre as compras de títulos lastreados em hipotecas pelo Fed que devem terminar no fim de março. Apenas umas poucas autoridades do Fed defenderam a expansão do plano e só um membro defendeu sua redução. O Fed adiou a discussão de medidas alternativas para implementar a política no longo prazo para este ano. A próxima reunião do Fed será nos dias 26 e 27 de janeiro.

 

Como se esperava, na reunião em dezembro, o Fed manteve sua taxa de juro perto de zero e reiterou o plano de mantê-la neste nível por vários meses por causa do desemprego elevado e da inflação baixa. O Fomc votou por dez a zero para manter a meta da taxa dos Fed Funds, os títulos que lastreiam os empréstimos interbancários no overnight, na faixa entre zero e 0,25%.

 

As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
FedataEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.