Federação dos bancos aprova manutenção dos juros

O economista-chefe da Febraban, Roberto Luis Troster, disse que a decisão do Copom, de manter a Selic em 16,5% ao ano, foi esperada e adequada. Segundo ele, os indicadores de inflação recomendaram uma decisão cautelosa na reunião de janeiro, não tendo ocorrido alteração neste cenário neste último mês.Na avaliação dele, o número divulgado hoje pela Fipe, com um recuo do índice de 0,26% na 2ª quadrissemana de fevereiro, abre possibilidade para que o Copom retome os cortes da Selic no mês de março. "Os índices de inflação vão indicar quanto seria possível cortar", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.