Federação dos Metalúrgicos começa campanha salarial no dia 18

Os representantes de 51 sindicatos ligados à Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, que representam 700 mil trabalhadores, decidiram hoje deflagrar no próximo dia 18 a campanha salarial de emergência para reposição das perdas provocadas pelo o que eles chamam de "bolsa inflacionária" verificada nos últimos meses. A proposta da campanha de emergência foi lançada neste mês pela Força Sindical, à qual a federação é ligada, e propõe a antecipação salarial para as categorias que têm data-base do dissídio coletivo nos últimos três meses do ano passado.De acordo com o presidente da federação, deputado federal Cláudio Magrão de Camargo Crê (PPS), se a inflação de janeiro atingir os 2,30% projetados e o mesmo índice se mantiver em fevereiro, os metalúrgicos, que tiveram o dissídio coletivo em novembro, terão uma perda de 13% acumulada até março.No dia 18, os sindicatos ligados à federação farão uma reunião plenária para aprovar a campanha de emergência. No dia 26 eles realizam assembléias e após a publicação dos editais a federação encaminhará à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) a pauta das reivindicações. Magrão antecipou que a campanha iniciará com a reivindicação da antecipação salarial total das perdas de novembro a fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.