Federação vai financiar planos de microsseguro no Brasil

A Federação Interamericana de Empresas de Seguros (Fides), em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Fundo Multilateral de Investimento (Fomin), também do BID, vai financiar as seguradoras que desenvolverem projetos para o microsseguro (apólices de pequeno valor vendidas à população baixa renda).

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, Agencia Estado

28 de setembro de 2011 | 15h09

A Fides planeja escolher 10 projetos de microsseguro. Cada um vai receber US$ 100 mil. Em contrapartida, a seguradora que tiver o programa selecionado vai ter que colocar o mesmo valor no projeto.

O objetivo é escolher projetos que possam ser replicáveis e sustentáveis financeiramente, "permitindo uma rápida expansão do microsseguro na região", segundo comunicado da Fides.

Brasil, Colômbia, Guatemala, México, Peru e Venezuela estão entre os países que receberão a ajuda financeira da Fides para desenvolver projetos de microsseguro na América Latina e Caribe. O prazo para inscrição, segundo comunicado da Fides, é até o dia 30 de setembro.

No Brasil, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) e outras entidades do setor de seguros têm feito campanha para desenvolver esse mercado. O microsseguro é visto pelos especialistas como forma de incluir um público de mais de 100 milhões de pessoas, que nunca comprou uma apólices antes, no mercado de seguros.

Tudo o que sabemos sobre:
microssegurofinanciamentoBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.