coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Federal Reserve mantém taxas de juros em 1,75%

O Federal Reserve manteve as taxas de juro de curto prazo estáveis e sinalizou que não pretende elevar as taxas nos próximos vários meses. A decisão foi tomada porque o Banco Central dos Estados Unidos está preocupado que a recuperação da economia possa se esgotar. Pela terceira vez este ano, o comitê de política monetária do Fed votou de forma unânime pela manutenção da taxa dos Fed Funds em 1,75% - menor nível em 40 anos. O comitê disse que o risco inflacionário ainda não começou a pesar mais que o risco da recuperação fracassar, uma indicação de que o Fed não vê a necessidade de elevar o juro no curto prazo. "A informação que tornou-se disponível desde a última reunião do comitê confirma que a atividade econômica vem recebendo um considerável ímpeto para cima de uma virada marcante no investimento em estoques", disse o Comitê de Mercado Aberto do Fed (Fomc). "Contudo, o grau de fortalecimento na demanda final ao longo dos próximos trimestres, um elemento essencial numa expansão econômica sustentável, ainda é incerta". A nota foi levemente menos otimista que a emitida pelo Fomc na reunião anterior, quando disse que a economia estava "se expandindo a um ritmo significativo". Num movimento relacionado, o conselho de diretores do Fed também votou pela manutenção da simbólica taxa de redesconto em 1,25%. A decisão do Fed foi amplamente antecipada por Wall Street e provavelmente terá pouco impacto sobre os mercados financeiros. Em meio a sinais que a economia não está se recuperando de forma uniforme, os investidores têm adiado suas expectativas de elevação das taxas de juro: eles agora acreditam que o Fed irá esperar até pelo menos agosto antes de aumentar o juro, como mostram os contratos futuros da taxa dos Fed Funds. A próxima reunião do Fomc está marcada para os dias 25 e 26 de junho. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

07 de maio de 2002 | 15h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.