KAREN BLEIER/AFP
KAREN BLEIER/AFP

Federal Reserve não vê recessão nos EUA nos próximos anos

Para os dirigentes do banco central dos Estados Unidos, a recente falta de força da economia americana se deve a fatores temporários

Victor Rezende e Gabriel Bueno da Costa, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2019 | 16h06

Os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) avaliam que grande parte da suavidade recente na economia americana se deve a fatores temporários e apontaram para a possibilidade de uma recuperação nos gastos dos consumidores nos Estados Unidos.

A ata da última reunião de política econômica da instituição, divulgada nesta quarta-feira, 10, mostra que o Fed enxerga a economia americana resistindo à desaceleração econômica global, e os membros deixaram claro que não viam recessão para os EUA nos próximos anos.

Entre os riscos citados, estão a perda de fôlego da expansão econômica mundial, principalmente na Europa e na China, a diminuição dos efeitos do estímulo fiscal nos EUA, as tensões comerciais e o processo de divórcio do Reino Unido da União Europeia (Brexit). O documento mostrou que a equipe de economistas do Fed notou uma desaceleração no crescimento econômico em alguns mercados emergentes, incluindo Brasil e México.

Em relação aos EUA, os dirigentes se mostraram preocupados com a fraqueza do setor imobiliário e observaram que parte da fraqueza dos índices de preços do país se deve à forte queda nos preços do petróleo. Além disso, eles notaram que o clima teve interferência no mercado de trabalho, o que fez com que houvesse menos geração de postos de trabalho em fevereiro.

Os dirigentes, de acordo com a ata, enfatizaram também que as avaliações sobre as perspectivas econômicas continuarão a depender dos indicadores econômicos. Eles discutiram interpretações alternativas das pressões inflacionárias moderadas e alguns dos membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) indicaram que ainda preveem uma alta modesta nas taxas de juros em 2019.

Juros

Os dirigentes do Fed afirmam que, em geral, a abordagem paciente em relação à taxa básica de juros do país deve ser mantida, mas ressaltaram que, à luz da evolução da economia, essa política precisaria ser revista.

"Os participantes concordaram, em geral, que a abordagem paciente para determinar os ajustes futuros na taxa dos Fed funds continuava adequada. Vários participantes observaram que a caracterização da abordagem do Comitê à política monetária como 'paciente' precisaria ser revista regularmente à medida que as perspectivas econômicas e as incertezas em torno da perspectiva evoluem", apontou a ata do encontro.

De acordo com o documento, alguns dirigentes do banco central observaram, ainda, que a caracterização do "paciente" não deve ser vista como um limitador às opções do Fed para fazer ajustes de políticas quando elas são consideradas apropriadas. No entanto, a maioria dos dirigentes do Fed previu que o atual quadro da economia americana deve levar a uma manutenção das taxas de juros em todo o ano. Atualmente, a taxa dos Fed funds está entre 2,25% e 2,50%. /COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.