Feirão de imóveis da Caixa movimentou R$ 1,4 bi

A 4ª edição do Feirão da Caixa, no Expo Center Norte, em São Paulo, terminou ontem com recordes de público e de negócios. Nos cinco dias de evento, mais de 162 mil pessoas à procura da casa própria - 8 mil a mais do que no ano passado - passaram pelo atendimento, estandes das construtoras e imobiliárias. Cerca de 21,5 mil contratos foram encaminhados, no valor de R$ 1,4 bilhão, superando em R$ 100 milhões a marca registrada em 2007, segundo balanço divulgado após o fechamento das portas ontem.A movimentação de negócios, no entanto, foi abaixo da expectativa da Caixa, que projetava um montante de R$ 1,5 bilhão. Mas o banco pretende alargar o número de contratos fechados a partir da feira por meio de uma estratégia de vendas pós-evento. ?Vamos montar uma sala de guerra para agilizar o fechamento dos negócios. Vai ser um mutirão das agências?, antecipou o superintendente-regional da Caixa, Augusto Bandeira Vargas.Ainda hoje, o banco deve detalhar os números do feirão, mas algumas surpresas já puderam ser identificadas. ?Não imaginávamos que íamos fechar tanto contrato do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo)?, afirmou o gerente regional Luiz Carlos Previlato, sem divulgar o volume total de negócios da modalidade de crédito nem a fatia que representou no total de contratos. A surpresa ocorre porque o empréstimo via SBPE é a opção contratada na compra de imóveis acima de R$ 130 mil, fora do foco do banco e da feira, cuja média de ofertas era em torno de R$ 90 mil. Para essa faixa de preço, o crédito pode ser feito a juros mais baixos, com recursos do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.