JOSÉ LUIS DA CONCEIÇÃO/AE
JOSÉ LUIS DA CONCEIÇÃO/AE

Fenaban aguarda contraproposta formal dos bancários

Grevistas reivindicam 10% de reajuste salarial, enquanto a proposta dos banqueiros é de 4,5%

Maíra Teixeira, da Central de Notícias,

24 de setembro de 2009 | 10h58

A Federação Nacional dos Bancos, braço sindical da Febraban, informou na manhã desta quinta-feira, 24, que pela primeira vez na história da campanha salarial o Sindicato dos Bancários decidiu entrar em greve antes de fazer uma contraproposta oficial aos banqueiros. Segundo a assessoria de imprensa da Fenaban, o órgão ficou sabendo da decisão da greve, e que os bancários não aceitaram a proposta patronal, pela imprensa. Os bancários iniciaram a paralisação hoje e reivindicam 10% de reajuste salarial, enquanto a proposta da Fenaban foi de 4,5%.

 

Veja também:

linkBancários recusam proposta e param em todo o País

 

Em nota, a Fenaban ressalta que apresentou no dia 17 deste mês proposta (Convenção)salarial e mudanças nas regras de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Na proposta o pagamento é composto pela soma de duas partes da PLR, que são calculadas sobre o lucro do banco e não dependem mais do crescimento do lucro em relação ao ano anterior.

 

A primeira parte é de 1,5 salário até R$ 10 mil e 4% do Lucro Líquido do ano de 2009. A outra será de 1,5% do lucro líquido, distribuído, igualmente, entre os empregados, até R$ 1.500,00.

 

Os salários serão reajustados em 4,5% sobre os valores pagos em 31 de agosto de 2009. A Convenção 2009-2010 também amplia o prazo da licença-maternidade em 60 dias, passando de 120 para 180 dias. Além disso, reconhece casais do mesmo sexo para efeitos de benefícios.

 

Paraná

 

Em Curitiba e região metropolitana, onde cerca de mil bancários aprovaram em assembleia a adesão ao movimento de paralisação por tempo indeterminado a partir desta quinta-feira, 24, 13 sedes administrativas de bancos estão fechadas. Trabalham nestes locais cerca de 8 mil dos 17 mil bancários dessas regiões. Entretanto, segundo o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, ainda não é possível avaliar o número de trabalhadores que estão em greve.

 

Na parte central da capital todas as agências bancárias estão fechadas, conforme uma primeira avaliação do sindicato. O autoatendimento nos caixas eletrônicos funciona normalmente, com exceção para depósitos.

 

Segundo a entidade, a greve foi a única resposta encontrada pelos trabalhadores após cinco rodadas de negociação. O movimento é nacional e faz parte da campanha salarial da categoria que reivindica aumento salarial de 10%, participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários mais R$ 3.850, proteção ao emprego e melhores condições de trabalho. A proposta apresentada pelos banqueiros prevê reajuste de 4,5%, PLR de 1,5 salário reajustado, limitado a R$ 10 mil e a 4% do lucro líquido de 2009.

 

(Com Agência Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
grevebancosPR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.