Fenaban e bancários do setor privado assinam acordo salarial

O presidente da Federação Nacional dos Bancos, Gabriel Jorge Ferreira, e representantes dos sindicatos dos bancários de todo o País assinaram hoje o acordo salarial deste ano, que prevê reajuste de 12,6%, abono único de R$ 1.500,00 e participação nos lucros de 80% do salário mais valor fixo de R$ 650,00. O presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, João Vaccari Neto, afirmou que a batalha agora é exigir dos bancos públicos federais (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, entre outros) que cumpram a convenção coletiva da categoria. De acordo com Vaccari, a proposta apresentada hoje de manhã pelo Banco do Brasil (BB) foi "muito ruim" e segue a lógica do governo Fernando Henrique Cardoso. Ele revelou que haverá uma assembléia dos funcionários do Banco do Brasil e se não houver uma contraproposta da instituição até às 18h da próxima segunda-feira, haverá greve geral no BB - a primeira do governo Lula - na terça-feira. Nesta tarde começam as negociações dos funcionários com a Caixa Econômica Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.