coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Fenaban eleva a 6% proposta de reajuste dos bancários

Sindicatos analisam proposta e devem decidir sobre greve nesta terça; bancários querem 10,3%

Felipe Maia, da Agência Estado,

01 de outubro de 2007 | 20h29

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) aumentou de 5,2% para 6% a proposta de reajuste salarial para os bancários neste ano. A nova oferta, considerada final pelos bancos, será analisada nesta terça-feira, 2, nas assembléias que os 150 sindicatos ligados à Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) promovem em todo o País, para decidir sobre a realização de uma greve por tempo indeterminado a partir de quarta-feira. Desde o fim da tarde, os integrantes do Comando Nacional dos Bancários estão reunidos para decidir se recomendam ou não que os trabalhadores promovam a paralisação. Segundo a Contraf-CUT, além do reajuste de 6% nos salários e benefícios, a Fenaban propôs também a concessão de uma cesta alimentação a mais por ano (13ª), no valor de R$ 252,36. Também houve mudanças no quesito da Participação nos Lucros e Resultados (PLR): os trabalhadores devem receber uma quantia de 80% do salário, acrescida de R$ 878.  Também receberão o rateio promovido entre todos os funcionários referente a 8% da variação do lucro líquido de cada instituição entre 2006 e 2007, com valor máximo de R$ 1,8 mil por trabalhador. Quando essa variação for maior que 15%, será garantida uma parcela mínima de R$ 1,2 mil. Já a categoria está reivindicando um reajuste salarial de 10,3%, PLR equivalente a dois salários, além de uma parcela fixa de R$ 3.500, distribuída de forma linear para todos os profissionais.

Tudo o que sabemos sobre:
Fenabanbancáriosgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.