finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Fenaban eleva proposta para bancários de 2% para 2,85%

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) melhorou a proposta de reajuste salarial para os bancários de 2% para 2,85%. Esse porcentual é equivalente à inflação acumulada em 12 meses até setembro, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A nova proposta, contudo, não agradou o Comando Nacional dos Bancários que orientou a categoria a cruzar os braços.Diante disso, os sindicatos de bancários preparam uma greve nacional da categoria por tempo indeterminado a partir de quinta-feira para pressionar os bancos a concederem aumento real de salários. A paralisação será votada em assembléias de trabalhadores marcadas para quarta-feira à noite em todo o País. ?Não vamos abrir mão de aumento real de salários (acima da inflação)?, disse o presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Luiz Cláudio Marcolino. A nova proposta dos bancos inclui ainda o prêmio de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR). Os bancos oferecem agora 80% do salário mais um valor fixo de R$ 823 a título de PLR. Na oferta anterior, o valor fixo era menor, de R$ 816. Além disso, nas instituições que tiverem crescimento de 20% ou mais no lucro líquido, o prêmio seria acrescido de R$ 750.?Além de não oferecer aumento real de salário, a proposta dos banqueiros manteve uma PLR que não contempla todos os trabalhadores nem representa uma distribuição mais justa do crescimento do lucro do setor?, afirmou Marcolino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.