Fenaban propõe reajuste de 6% aos bancários

Representantes de sindicatos de bancários se reuniram nesta terça-feira no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo, com a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) para discutir a proposta de 6,0% de reajuste salarial, feita pela instituição à categoria. No início do mês, os bancários entregaram à Fenaban pauta da campanha salarial com pedido de reajuste de 10,25%, sendo 5% de aumento real.

BEATRIZ BULLA, Agencia Estado

28 de agosto de 2012 | 17h21

A proposta da Fenaban prevê ainda participação nos lucros ou resultados (PLR) de 90% do salário acrescido de valor fixo de R$ 1.484,00, podendo chegar a 2,2 salários de cada empregado. A reivindicação dos bancários à Fenaban era de PLR de três salários mais R$ 4.961,25 de parcela fixa.

Os bancários pediam também piso salarial de R$ 2.416,38 e plano de cargos para toda a categoria. A proposta dos banqueiros é de piso para trabalhadores de escritório de R$ 1.484,00 e piso para caixa de R$ 2.014,38. A Fenaban propõe também aos trabalhadores auxílio refeição de R$ 20,97; auxílio cesta alimentação de R$ 359,42 (mesmo valor da 13ª cesta alimentação); auxílio creche de R$ 301,94; e requalificação profissional de R$ 1.032,50.

Agora, representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec) negociam com a comissão de negociação da Fenaban. Em todo o País, a categoria reúne 500 mil funcionários.

A rodada de negociações desta terça-feira prevê discussão também de questões de saúde e segurança no trabalho, cláusulas sociais da Convenção Coletiva de Trabalho do setor e igualdade de oportunidades.

Tudo o que sabemos sobre:
dissídiobancáriosFenaban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.