finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Feriado nos EUA enfraquece Bolsa

Câmbio e juros futuros também sentiram a falta do parâmetro de Wall Street e tiveram dia de poucos negócios

Claudia Violante, Alessandra Taraborelli e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

28 de novembro de 2008 | 00h00

Os mercados domésticos tiveram ontem um dia fraco de negócios, uma vez que as bolsas nos EUA não funcionaram por causa do feriado de Ação de Graças. Pela manhã, a declaração do senador Tasso Jereissatti (PSDB-CE) de que o empréstimo de R$ 2 bilhões feito pela Petrobrás à Caixa Econômica Federal (CEF) sinaliza problemas de caixa da estatal repercutiu entre os investidores. Mas não teve força para movimentar a Bovespa, que negociou somente R$ 1,74 bilhão e fechou em 36.212,65 pontos (-0,70%), após três sessões de alta. As ações PN da estatal recuaram 2,78%. O dólar subiu, após três sessões consecutivas de queda, para R$ 2,281 (+0,62%). A realização de lucros nas ações e no câmbio, entretanto, não convenceu, dada a liquidez fraca. O mercado de juros também ensaiou ajuste aos recuos recentes, mas a falta do parâmetro de Wall Street igualmente afetou a consistência do movimento. O contrato para janeiro de 2010 ficou praticamente estável, a 14,60%. Também com giro reduzido, as bolsas européias encerraram no azul, impulsionadas pela expectativa de um corte de juros pelo Banco Central Europeu (BCE) na próxima semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.